fbpx
Category

Hálito

7 erros comuns ao escovar os dentes

By | Cáries, Doenças bucais, Gengiva, Hálito, Ortodontia, Remoção de placa

A escovação dos dentes é parte da nossa higiene diária, esse processo já é algo tão automático, que muitas vezes não prestamos atenção higienização que estamos fazendo e acabamos nos descuidando e até prejudicando a saúde da nossa boca.

É preciso estar atento a todos os movimentos, ao uso adequado do creme dental e detalhes que levam a erros muito comuns que acabam facilitando o aparecimento de doenças bucais.

Vamos listar 7 erros comuns na hora de escovar os dentes para que você fique atento na hora da sua higiene bucal.

  1. Escovas duras

As cerdas quando duras acabam não limpando o suficiente os dentes, pelo contrário podem acabar machucando sua gengiva a ponto de causar uma retração gengival, juntamente, é claro, com o desgaste do esmalte dental.

  1. Usar força na escovação

Usar força pode causar sangramento e problemas na gengiva, o adequado é metade das ceras na superfície dental e a outras metade recobrindo a gengiva. Os movimentos devem ser circulares e sem pressionar a cabeça da escova.

E não somente os dentes merecem atenção mas a língua e as bordas da gengiva rente aos dentes, usando muita delicadeza nessas regiões.  

  1. Trocar a escova a cada 3 meses

Escovas desgastadas não conseguem realizar uma limpeza adequada nos dentes, e inconscientemente utilizar de mais força para atingir uma melhor limpeza, o que acarreta em problemas bucais como já falamos anteriormente.

  1. Boca muito aberta

Ao abrir demais a boca a escova não consegue alcançar os dentes superiores do fundo,  que acabam ficando sujos com resto de alimentos. O que leva a cárie, mau hálito e problemas bucais.

  1. Excesso de creme dental

A pasta de dente aplicada deve ser do tamanho de um grão de ervilha, no meio das cerdas. Essa prática pode dar a falsa impressão de maior limpeza, mas acaba atrapalhando, pois o excesso de espuma faz com que a escova deslize muito rapidamente e não desmanche a placa dental.

  1. Uso do fio dental

O fio dental deve fazer parte da sua higienização completa, pelo menos uma vez por dia em todos os dentes. Movimentos de vaivém entre os dentes, com calma e sem pressa para não machucar a gengiva e evitar o sangramento desnecessário. E para os dentes do fundo, se você não alcançar, deve utilizar um passador de fio para auxiliar.

  1. Usar antisséptico bucal

Enxaguantes bucais não devem substituir a escovação. O antisséptico serve para finalizar a higienização e proporcionar um hálito mais agradável, mas é a parte menos relevante no processo de limpeza dos dentes. Então jamais substituir a sua escovação pelo bochecho.

No nosso próximo artigo estaremos falando sobre mordida cruzada! Vem conferir!

5 hábitos que prejudicam a saúde dos seus dentes

By | Cáries, Doenças bucais, Gengiva, Hálito, Ortodontia

Para prevenir os impactos negativos em seus dentes e preservar a saúde dos mesmos, fique atento a alguns hábitos que adquirimos, mas que são prejudiciais à saúde bucal.

1. Escovar os dentes com excesso de força

Algumas pessoas tem o hábito de escovar os dentes com muita força, achando que auxilia ou facilita na limpeza. Porém, a escovação é muito mais técnica do que realmente força, e o excesso de força pode prejudicar a saúde de sua boca e seus dentes, podendo vir a causar problemas como a gengivite.

2. Excesso de bebidas e alimentos ácidos

Enquanto a maior parte dos alimentos ácidos podem fazer bem para a sua saúde por vir com uma série de nutrientes únicos, em excesso eles podem ser extremamente danosos para os seus dentes.

Sucos citricos, refrigerantes e vinhos em excesso podem sensibilizar os seus dentes e aumentar a propenção de cáries. Há, no entanto, uma forma bem simples de evitar isso com as bebidas: usar canudo sempre que for beber.

3. Abusar de doces e seus derivados

Quando usamos doces e seus derivados estamos criando um campo ideal para bactérias causadoras da cárie, por isso, cuide para que sua dieta seja pobre em açúcar.

4. Exagerar do café e bebidas corantes

Certas bebidas têm a capacidade de manchar o seus dentes com o excesso de consumo. O café é o mais comum dos vilões aqui, mas não é o único! O vinho possui também essa capacidade de dar uma cor mais amarelada aos seus dentes com o excesso de consumo. Alguns chás com cafeína também possuem o mesmo risco, então tome cuidado com o que toma.

5. Cigarros

Muitas substâncias mancham os dentes e as pessoas seguem usando-as, e algumas substâncias presentes no fumo não somente mancham os dentes, mas também causam problemas nos dentes, gengiva e na saúde de toda a sua boca.

O pouco uso de cigarros já causa mal hálito, enquanto o excesso pode aumentar drasticamente as chances de um quadro de câncer bucal.

É importante tomar todo o cuidado possível com sua saúde bucal para garantir que você não tenha problemas de saúde bem graves no seu futuro.

 

Onde você guarda sua escova de dentes?

By | Cáries, Doenças bucais, Gengiva, Hálito, Ortodontia

A maior parte das pessoas não liga muito para o local onde guarda a sua escova de dentes, deixa ali por cima da pia, coloca em uma gaveta junto com um monte de badulaques sujos e mal guardados, em meio à bagunça… Mas o lugar onde se guarda a escova de dentes pode ser crucial para a higiene de seus dentes.

Guarde as escovas em locais seguros

Ao deixar a escova em cima da pia do banheiro, você deixa ela exposta ao ar do banheiro, que é um local onde usamos perfumes, desodorantes, é onde tomamos banho e também onde usamos o vaso sanitário. Tudo isso libera no ambiente os mais variados odores e fragmentos de substâncias, por isso a escova de dente não deve ficar exposta em ambientes abertos.

Ao mesmo tempo, quando guardamos a escova em algum tipo de gavetas cheias, essas coisas sujam sua escova de dentes.

Geralmente são objetos que foram manuseados com frequencia, os quais estão muitas vezes sujos e podem contaminar as coisas ao redor. É por isso que se destaca sempre a importância de lavar as mãos quando chegamos em casa, para o que for tocado não seja contaminado com as sujeiras das ruas.

O lugar mais adequado para se guardar a escova é na prateleira do armário, dentro de um copo ou num pote com tampa, dessas que possuem furos para o ar entrar e sair. As escovas devem ser secas depois de usadas, nunca guardadas úmidas, para que se evitem a proliferação de fungos.

Ao guardar, a porta do armário deve ser fechada, para que coisas do ambiente externo não polua sua escova.

Além disso, é sempre bom lembrar que devemos trocar as escovas de dentes após um período estimado de seis meses para evitar contaminação.

Como cuidar dos primeiros dentes do bebê

By | Doenças bucais, Hálito, Ortodontia, Remoção de placa

A primeira dentição é chamada dentes de leite, e essa é uma fase importante do crescimento das crianças. Todos os mamíferos têm essa fase e são necessários para a amamentação e parte do crescimento natural.

Como cuidar dos primeiros dentes do bebê

Como tudo o que se refere aos bebês, é preciso muito cuidado na hora de cuidar dos dentes nessa importante fase da vida. Não devemos correr o risco de deixar que a criança tenha problemas dentários nessa fase, pois mesmo que os dentes de leite sejam substituídos, os problemas dentários podem persistir e até mesmo serem transmitidos à dentição permanente.

Além disso, é desde pequeno que se cria os hábitos de higiene que levaremos para a vida inteira. E se acostumarmos as crianças a nunca escovar os dentes, a ter uma alimentação incorreta, entre outras coisas, o risco desses maus hábitos se formarem na vida adulta são muito grandes.

Por essa razão, deve-se desde cedo acostumar as crianças a escovar os dentes, usar fio dental e enxaguante bucal, para prevenir as cáries e ter-se hábitos melhores de higiene.

Jamais deve-se dormir sem escovar os dentes ou comer doces à noite, pois é durante o sono que as cáries podem se formar, quando a boca está fechada e torna-se um ambiente propício à proliferação de cáries.

É importante ensinar aos pequenos a forma correta de escovar os dentes, escovando-os bem e também como usar o fio dental e o enxaguante bucal, além de saberem como guardar os objetos de higiene e como conservá-los enquanto estão em uso.

Muitas escolas e creches fazem esse papel, porém é em casa que os hábitos devem ser formados e a educação deve ser incentivada,  que nessa fase da vida bons hábitos de higiene devem ser praticados.

A importância do uso fio dental

By | Cáries, Gengiva, Hálito

O fio dental é um item de higiene que serve para ser usado entre os dentes e faz a limpeza nessas áreas mais difíceis de limpar com a escova normal.

Qual é a importância do fio dental

O fio dental é importante pois é através dele que se faz a correta higienização entre os dentes, deve ser aplicado antes da escovação e se possível deve ser usado três vezes ao dia, nas três escovações principais.

O uso do fio dental deve ser um hábito, pois, se não for usado, poderá ocorrer a cárie entre os dentes. Esse tipo de cárie é de mais difícil combater, pois está em uma região muito difícil para acessar e além disso, pode se levar muito tempo até perceber seus efeitos, pois está em lugares escondidos da boca.

Por isso é necessário o cuidado com a escovação, usando escovas novas e resistentes e escovando a boca de modo correto, todas as áreas dos dentes, a língua e usando o fio dental, além do enxaguante bucal.

O fio dental deve ser usado no mínimo uma vez ao dia, e, se não for usado após as refeições, deve ser utilizado pelo menos antes de se deitar, na última escovação. Assim, os dentes ficam limpos de impurezas que se alojam entre os dentes e não são limpos pelas escovas tradicionais.

Dessa forma, nunca esqueça da importância do fio dental para a higiene dos dentes. Pode parecer apenas mais uma frescura, mas é ele quem limpa perfeitamente seus dentes, evitando problemas futuros que podem custar muito caro para sua saúde e seu bolso.

Procure por produtos de boa qualidade, e para isso os fios devem ser resistentes e macios, para não machucar os dentes. Assim, você vai garantir a saúde de seus dentes.

 

Enxaguante bucal: tudo que você precisa saber

By | Hálito | 635 Comments

Usar enxaguante bucal deve ser uma prática complementar à higienização da boca, aquela feita com a escova e o fio dental.

Somente a escovação e o uso de fio dental conseguem combater as placas bacterianas, limpam os dentes e a gengiva dos restos de alimentos. Se aliado a uma boa escovação, nos casos específicos, o enxaguante pode sim ser útil. Os bochechos têm importância, mas tem mais eficiência para aqueles que sofrem com doenças periodontais, entre elas cáries, dentes sensíveis e halitose de origem bucal. Para as demais pessoas, a atuação do produto é quase nula, independente da quantidade de vezes em que ele é usado diariamente.

Apesar de serem vendidos livremente, sem a necessidade de prescrição, a utilização desses produtos deve, sim, ser feita com base na recomendação do dentista. Vamos esclarecer por aqui as principais dúvidas que rondam o uso dos enxaguantes:

Eles não substituem a escova, a pasta, o fio dental e os higienizadores de língua, eles possuem ações germicida e bactericida, mas não removem os restos de alimentos entre os dentes; São recomendados a partir dos 6 anos de idade, fase em que a criança já aprende a bochechar sem engolir a solução; Devem ser indicados pelo dentista em fase de pós-operatório; O especialista é que deve recomendar a rotina do uso do enxaguante bucal, quantidade de vezes e ml a serem bochechados. Vale lembrar que o uso do enxaguante deve ser a última etapa de uma higienização bucal completa, antes de fazer os bochechos, você deve utilizar o fio dental e realizar a escovação adequada e após o seu uso evite lavar a boca por isso prefira utilizar o enxaguante à noite.

Não há nada melhor que a segurança de um sorriso bem cuidado, para refletir o verdadeiro bem-estar de zelar por nossa higiene bucal.

 

Se você gostou do nosso artigo, siga as nossas páginas nas redes sociais!

Desse jeito você estará sempre informado e ligado nas próximas matérias.